4417
Páginas Visualizadas Hoje

Autor: Waddy - Data: 09/06/2017 16:18

Ambulantes podem ser impedidos de montar comércio em frente ao Parque durante a Expoagro

Medida, de acordo com Prefeitura, PM e bombeiros, é garantir a segurança de visitantes e moraores
Facebook Twitter LinkedIn Google+ Addthis Ambulantes podem ser impedidos de montar comércio em frente ao Parque durante a Expoagro

Comerciantes e proprietários de imóveis da Avenida Presidente Tancredo Neves, entre o Jardim Vera Cruz e o Recreio dos Bandeirantes, em Guaxupé, estão insatisfeitos com as autoridades locais. Isto, porque foram informados de que Prefeitura, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar pretendem impedi-los de alugar seus estabelecimentos e transformá-los em pontos para vendas de produtos variados durante os dias de realização da Expoagro 2017. Habituados a faturar uma renda extra com o evento, desta vez eles temem não ser possível dar sequência ao trabalho de longa data. Situação um tanto quanto polêmica, a iniciativa, segundo consta, está sendo motivada pelos índices elevados de delitos ocorrentes naquelas imediações, nos últimos anos.

A Expoagro, que neste ano acontecerá entre os dias 7 e 16 de julho, no Parque de Exposições Dr. Geraldo Souza Ribeiro, há cerca de quatro décadas possibilita a geração de rendas por meio do comércio ambulante, principalmente na Avenida Presidente Tancredo Neves, em frente ao recinto. Porém, neste ano os donos de casas e barracões naquela área foram informados de que pelo menos na porta do Parque não poderão trabalhar, como fizeram até o ano passado. Entretanto, não receberam nenhum comunicado: “Fica um jogo de empurra e não sabemos se poderemos ou não alugar. Já fui à Prefeitura várias vezes, eles dizem que marcarão reuniões conosco e nada! Então, acho que não é na véspera da Expoagro que eles vão me dar a resposta que preciso! Tem pessoas que alugam aqui há anos, vêm de fora e precisam de antecedência. Então, preciso de uma resposta, pois até agora está tudo em torno de boato. Hoje mesmo liguei na Prefeitura e dizem que a pessoa ‘está em reunião’”, reclamou a aposentada Maria Aparecida Queiroz Romeiro, que há cerca de trinta anos aluga duas garagens para a venda de doces, além do quintal de sua casa, transformado em estacionamento para abrigar veículos de visitantes à festa.

José Carlos de Oliveira, que todos os anos aluga espaços na porta da Expoagro, está decepcionado: “A gente está indignado com a situação, pois aqui não tem nenhum vagabundo, trabalhamos com nossos produtos e precisamos saber por que não querem nos deixar trabalhar! Faz muitos anos que atuamos do lado de fora do Parque e, agora, vem esta ‘bomba’ querendo nos prejudicar. Acho que, em caso de segurança, estamos trabalhando num espaço particular e não na rua ou calçada, que ficam livres para transitar. Queremos uma resposta honesta, correta e que não seja em cima da hora. A gente tem, aqui, várias pessoas que trabalham conosco e, juntando tudo, são mais de cento e vinte empregos. E o dinheiro que geramos fica na cidade, o que movimenta o comércio. Querendo ou não, está gerando imposto para a Prefeitura, pois pagamos tudo!”, desabafou o rapaz, que espera levantar um bom dinheiro durante o dias de realização da Expoagro.

Por parte da PM, conforme o major Afrânio Tadeu Garcia, a medida visa à segurança das pessoas: “Os dados de 2015 e do ano passado mostram uma incidência grande de assaltos, perturbações e outros crimes no entorno do Parque de Exposições. A gente percebe que há um evento interno, com cerca de dez mil pessoas, onde as providências de Bombeiros, Vigilância Sanitária e segurança são tomadas. Porém, na porta do Parque há a mesma grande concentração de pessoas, o que dificulta nossa atuação em eventualidade de ocorrências. Esta é a razão do nosso planejamento e não para prejudicar quem quer que seja! Ou a população quer segurança ou farão a festa de forma desorganizada. Estou aberto a todos que quiserem apresentar alguma proposta, mas ao final, a PM será cobrada, pois temos de atuar preventivamente e, neste aspecto, temos que cuidar para que as coisas sejam organizadas”, justificou o comandante, que já tomou a mesma medida em outras cidades onde trabalhou.

Para a secretária municipal de Finanças, Elaine Gonçalves Ricciardi Cerdeira, as medidas dos Bombeiros e PM vão ao encontro do necessário para a realização de uma festa segura: “Recebemos a orientação da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros para que não haja liberação de nenhum tipo de comércio ambulante na área que ficará restrita, fechada com gradil, que é entre a Rua Fernão Dias, a Agostinho Barbalho e a Avenida Presidente Tancredo Neves. Sendo assim, o pessoal habituado a ficar lá terá um local de trabalho na praça em frente ao Parque de Exposições e numa área abaixo do gradil. Há espaço suficiente para todos, com iluminação, banheiro químico e segurança”, explicou a representante da Prefeitura de Guaxupé. – E, no Corpo de Bombeiros, onde o Jornal JOGO SÉRIO também esteve, a fim de ouvir as versões, o tenente Josué Pereira de Oliveira admitiu o intuito de impedir o comércio na porta do Parque e reforçou que o objetivo é exclusivamente dar segurança aos visitantes e moradores próximos.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.







Quem Somos

Redação: R. Dr. Joaquim Libânio, nº 532 - Centro - Guaxupé / MG.
TELs.: (35) 3551-2904 / 8884-6778.
Email: [email protected] / [email protected]