3478
Páginas Visualizadas Hoje

Autor: Carlos Alberto - Data: 18/08/2017 11:43

Realizada em Guaxupé a 7ª Conferência do Juizado da Infância e Juventude

Evento aconteceu no Fórum, com o tema "tecnologia" em evidência e a preocupação das autoridades para com o futuro dos menores
Facebook Twitter LinkedIn Google+ Addthis

A “7ª Conferência do Juizado da Infância e Juventude de Guaxupé” foi realizada nesta quarta-feira, 16 de agosto, no salão do júri do Fórum local, com a participação de autoridades, especialistas e estudantes, em geral. O evento, organizado pelo Comissariado de Menores, foi composto por palestras e teve como objetivo auxiliar no cotidiano de profissionais atuantes em questões de crianças e adolescentes.

O seminário deste ano teve como tema “As crianças e os adolescentes frente as novas tecnologias”, tendo, neste aspecto, os recursos da informática, hoje bastante comuns entre os jovens, sido difundidos de diferentes formas: “É um evento voltado para questões afetas à infância e juventude, trazidas à tona para todos os interessados, com envolvimento, de alguma forma, com criança e adolescente. Sempre convidamos profissionais das mais variadas áreas, a fim de falarem sobre suas áreas específicas. É um evento que agrega a todos os públicos e não deixa de ser pioneiro em Guaxupé”, comentou o juiz Milton Biagioni Furquim.

Do público presente, boa parte das pessoas permaneceu no salão desde o início da manhã, quando foi aberto o evento. Entre elas, a universitária Rosângela Jaber, do curso de Direito do Unifeg, que foi elogiada pela dedicação: “Eu questionei nosso secretário de Assistência Social, o Claudinei, por que a sociedade é tão omissa? Por que não pode haver, por exemplo, vigilantes e inspetores que ajudem a ir às empregas buscar vagas para o primeiro emprego e tirar o adolescente da rua? Me coloquei à disposição como voluntária para isto”, manifestou-se a acadêmica.

Principal responsável pela realização do seminário, o comissário de menores, Luiz Antônio Ferreira enfatizou: “Todo dia a gente recebe ligação sobre menores nas ruas. Todo mundo quer mostrar, mas ninguém apresenta uma solução. Hoje, de manhã, mostramos situações onde o empresário, que deveria aderir, não adere. Aí, quando o menor entra na casa dele para roubar, eles querem responsabilizar a Justiça. Tivemos o projeto do ‘Primeiro Emprego’, onde o menor trabalha a partir dos 14 anos, mas ninguém adere a ele. Hoje, os comissários sofrem com infratores da faixa etária a partir de 14 anos, com menores traficando até pelo whats app. Por isto, o tema deste ano foi a tecnologia, pois a gente pode enfrentar de igual”, ressaltou o organizador.

Quanto ao conteúdo da conferência, ministraram palestras os defensores públicos Felipe Moreira Favilla e Letícia de Lima Freitas; o secretário municipal de Desenvolvimento Social, Claudinei Vítor; a psicóloga do CRAS, Marina Aoki Basaglia; o professor José Dimas de Souza, e os juízes Flávio Schmidt (de Muzambinho) e Milton Biagioni Furquim (de Guaxupé). Ainda com relação às participações, representantes do Conselho Tutelar, comissários de menores, assistentes sociais, entre outros, assistiram às aulas especiais. 

 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.







Quem Somos

Redação: R. Dr. Joaquim Libânio, nº 532 - Centro - Guaxupé / MG.
TELs.: (35) 3551-2904 / 8884-6778.
Email: [email protected] / [email protected]