428
Páginas Visualizadas Hoje

Autor: Carlos Alberto - Data: 28/05/2018 15:00

Prefeitura e PM iniciarão campanha de combate à "esmola" em Guaxupé

Para as autoridades, a população prejudica ainda mais a vida dos sofredores quando ofertam dinheiro a eles. Isto, porque os recursos conquistados são usados para custear a dependência química em drogas e álcool
Facebook Twitter LinkedIn Google+ Addthis Prefeitura e PM iniciarão campanha de combate à

A Prefeitura e a Polícia Militar de Guaxupé iniciarão, por esses dias, uma campanha de combate à mendicância. A ação, que visa proteger aos cidadãos de bem, vai ainda ao encontro de um auxílio eficaz a pessoas em situação de miséria. Habituados a esmolar pela cidade, principalmente nos semáforos, os andarilhos utilizam os recursos que ganham para consumir álcool e drogas. Além de se prejudicarem, em todos os sentidos, eles agora passam a ser vistos como perigo à sociedade, haja vista que, segundo as autoridades, têm ameaçado e até agredido a quem nega-lhes a doação.

A iniciativa foi divulgada nesta sexta-feira, 25 de maio, na sede do Executivo, onde os secretários Artur Fernandes Gonçalves Filho e Claudinei Vítor, respectivamente das áreas de Planejamento/Governo e Assistência Social, receberam o comandante da PM local, major Afrânio Garcia, e o subtenente Robson, a fim de traçar estratégias para dar eficácia à ação. “Não há dignidade da pessoa que está neste tipo de situação. As pessoas que dão esmolas não estão ajudando, mas sim prejudicando estas pessoas. Diagnosticamos um aumento na demanda destas pessoas, que muitas vezes são de fora, mas encontram amparo na esmola e não querem mais ir embora. Então, a PM procurou a Prefeitura para encontrarmos um viés e solucionarmos esta situação”, informou o major Afrânio, que atentou, também, para o fato de que, às vezes, pessoas procuradas por crimes cometidos escondem-se entre mendigos, o que reforça a importância da ação.

Já realizada na gestão anterior do atual governo municipal, a campanha de combate à mendicância constará de um trabalho conjunto entre Prefeitura, Polícia Militar e a população. À frente da Secretaria Social, Claudinei enfatizou a preocupação com o bem-estar não só da população, mas principalmente dos próprios moradores de rua: “Que fique claro que a intensão da Assistência Social é proteger os direitos das pessoas. Todos os dias abordamos indivíduos, realizamos seus cadastros e os encaminhamos a instituições específicas com as quais trabalhamos, que são a AVV, para mulheres e seus filhos, vítimas de violência; o Bom Pastor, com sua casa de acolhimento e a casa de passagem; e a Missão Vida, que é uma casa de passagem diária. Por isto, o Município está totalmente estruturado para trabalhar com as pessoas de rua”, garantiu o secretário.

 

 

PARA AS MÃES QUE SOFREM COM A DROGADIÇÃO DOS FILHOS...

Indagado sobre a grande quantidade de mães que têm enfrentado verdadeiras tragédias em casa, por conta da dependência química de filhos, esposos e entes queridos, o secretário Social da Prefeitura explicou que elas podem recorrer ao poder público, onde obterão amparo: “Existe um trâmite correto que inicia-se no CAPS, onde o familiar do cidadão vitimado pela drogadição ou o alcoolismo realiza seu cadastro : “O Município já tem as vagas para este tipo de internação. O Município, então, está preparado para o enfrentamento a este tipo de situação. O que é preciso entender é que o caminho correto para as mães com filhos na dependência química devem procurar o CAPS, que é a ‘porta de entrada’ para atender a este processo. Podem também nos procurar no CREAS ou no CRAS, que os encaminharemos à Saúde. No CAPS, será feita uma triagem para identificar a necessidade ou não da internação. Se houver, montamos um processo interno, o encaminhamos ao Ministério Público, que formaliza o processo, obtém o aval do juiz responsável pelo caso, que estipula a internação compulsória”, detalhou Claudinei.

Ainda com relação à campanha entre Prefeitura e PM, com vistas ao combate às esmolas, o secretário de governo destacou a importância da participação popular: “Nossa intenção é estimular a população a cumprir com a parte dela, entendendo que não temos de dar esmola, mas sim dignidade a estas pessoas. Na medida em que damos esmolas, estamos alimentando um modelo perverso, que tira a dignidade destas pessoas. A população vai perceber, nós faremos blitze educativas junto à Polícia Militar, teremos folders e faixas educativas nos semáforos, na Feira e outros pontos. Então, queremos contar com a sensibilidade da população, que não deve dar esmolas, mas sim dignidade”, finalizou Arturzinho, que divulgou os telefones (35) 3559-1138 (da Prefeitura) e 190, no caso da PM.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.







Quem Somos

Redação: R. Dr. Joaquim Libânio, nº 532 - Centro - Guaxupé / MG.
TELs.: (35) 3551-2904 / 8884-6778.
Email: [email protected] / [email protected]