1567
Páginas Visualizadas Hoje

Autor: Carlos Alberto - Data: 05/06/2018 17:00

Prefeitura pede rescisão contratual, mas Macchione tem ainda dois dias para recorrer

Serviço emergencial da Secretaria de Obras continuará até a solução do problema
Facebook Twitter LinkedIn Google+ Addthis Prefeitura pede rescisão contratual, mas Macchione tem ainda dois dias para recorrer

A direção da Macchione terá dois dias, a partir desta terça-feira, 5 de junho, para convencer a Prefeitura a não rescindir o contrato firmado entre as partes, para fins de limpeza pública e coleta de lixo no Município. Notificada sobre a quebra do convênio, a empresa em questão precisa se pronunciar, haja vista que desde o último dia 27, quando deveria ter iniciado suas atividades, mas não o fez, a firma tem gerado um transtorno incalculável para a municipalidade e, consequentemente, à população.

A Macchione foi informada no início desta tarde pelo setor jurídico da Prefeitura, o qual trabalha já desde os últimos dias, incessantemente, para solucionar o problema criado por aquela terceirizada. No conteúdo, o Município elencou as falhas da firma, que não chegou ainda a atuar, primeiramente sob a alegação de que a greve dos caminhoneiros a impediu. Porém, uma semana após o fim das paralisações, a empresa ainda não se estruturou para realizar os serviços (de acordo com a Prefeitura, faltam funcionários, equipamentos e até documentação para dar legitimidade à firma).

Ciente de que a cidade não pode mais passar pela situação em que está, com lixos espalhados por bairros e nas áreas centrais, a Prefeitura mantém seu serviço emergencial, com seis equipes, compostas por vinte e quatro funcionários da Secretaria de Obras, coletando o lixo de segunda à sexta-feira, das 7h às 20 horas. O trabalho, embora realizado com dedicação por parte dos servidores públicos, não tem atendido à demanda adequadamente, haja vista a falta de veículos apropriados e trabalhadores especializados para a referida atividade.

Ainda com relação ao contrato entre Prefeitura e Macchione, “Caso persista a rescisão, a Prefeitura possui dentro do Processo Licitatório outras quatro empresas que foram habilitadas. Assim, será iniciado um trabalho de consulta, da segunda colocada até a quinta, para saber se elas aceitarão prestar o serviço em Guaxupé nas mesmas condições contratuais e financeiras que estava sendo firmada com a Macchione”, informou a comunicação social da Prefeitura, em nota enviada ao Jornal JOGO SÉRIO. Vale lembrar que a segunda colocada da licitação foi a Constroeste, que prestou serviços em Guaxupé nos últimos anos.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.







Quem Somos

Redação: R. Dr. Joaquim Libânio, nº 532 - Centro - Guaxupé / MG.
TELs.: (35) 3551-2904 / 8884-6778.
Email: [email protected] / [email protected]