306
Páginas Visualizadas Hoje

Autor: Carlos Alberto - Data: 14/06/2018 11:17

Operação de combate ao crime organizado resulta nas prisões de duas pessoas em Guaxupé

Denominada "Echelon", a operação aconteceu em vários municípios, tendo sido realizada em parceria entre policiais civis de Minas Gerais e São Paulo
Facebook Twitter LinkedIn Google+ Addthis Operação de combate ao crime organizado resulta nas prisões de duas pessoas em Guaxupé

A Polícia Civil (de Minas Gerais e São Paulo) realizou, nesta manhã de quinta-feira, 14 de junho, uma operação conjunta denominada “Echelon”, com o objetivo de combater o crime organizado nos dois estados. Realizada para responder aos ataques a transportes coletivos e outros, supostamente liderados por facções criminosas, a ação aconteceu em vários municípios, sendo que na cidade de Guaxupé foram efetuadas duas prisões (de um homem e uma mulher), além da apreensão de cerca de um quilograma de maconha.

A Operação “Echelon” foi iniciada por volta das 4h, tendo ocorrido em cidades mineiras e paulistas. Na região do Sul de Minas, equipes diligenciaram em Guaxupé, Poços de Caldas, Pouso Alegre, Extrema, Divinópolis, Passo, Itaú de Minas, Botelhos, Sacramento, Caxambu e Fortaleza de Minas. “Logramos êxito em realizar o trabalho em Guaxupé, haja vista que uma mulher, de Itu, no Estado de São Paulo, mas que morava na Vila Progresso, foi capturada e, com ela, indícios de participação no crime organizado. Já com o rapaz, que foi pego no Residencial Monte Verde, conseguimos localizar cerca de 1Kg de maconha, tendo ele sido preso em flagrante também pelo crime de tráfico de drogas”, informou o delegado regional, dr. Marcus Piedade, da Delegacia Regional de Segurança Pública, em Guaxupé.

 

NA REGIÃO

De acordo com os delegados Gustavo Henrique Magalhães Manzoli e Bráulio Stivanin Júnior, da Polícia Civil de Minas Gerais, lotados em Poços de Caldas, ao todo foram cumpridos dezoito mandados de prisão, busca e apreensão, com os recolhimentos de computadores, telefones, anotações e outros tipos de provas. “É até interessante destacarmos que esta é uma resposta e gostaria de enfatizar que, para os bandidos, não existe a fronteira entre os municípios e, para a polícia, também não!”, comentou dr. Bráulio. “A ligação é a suspeita de participação da mesma organização criminosa, cujas investigações originaram-se no Estado de São Paulo, com o apoio da Polícia de Minas Gerais, com os cumprimentos dos mandados de busca e apreensão. Hoje, inclusive, foram cumpridos vários mandados de prisão a pessoas que já estão presas”, complementou dr. Gustavo Henrique (que atuou em Guaxupé no início da década de 2000).

 

OS ATAQUES

Conforme noticiado anteriormente, os ataques a veículos de empresas do transporte público coletivo foram iniciados na noite de 3 de junho último, quando ônibus foram incendiados em dez cidades, como no município de Guaxupé, onde a Viação Guaxupé/Tuga perdeu seis coletivos, destruídos pelo fogo ateado misteriosamente. Naquela mesma noite, episódios semelhantes foram registrados em pelo menos outras sete cidades do Sudoeste mineiro, com investidas violentas. De lá para cá, as cidades têm convivido com uma onda de crimes desta natureza, em dezenas de localidades distintas, o que resultou na ofensiva do poder público, por meio da Polícia Civil, com sua “Operação Echelon”. Vale lembrar que, paralelamente a isto, a Polícia Militar de Guaxupé capturou três rapazes no último dia 4 de junho, nas proximidades do Pólo Industrial, onde fica a garagem da Tuga, sendo um adulto, com 18 anos, e dois adolescentes. O trio, que tentou fugir ao avistar a viatura PM, foi alcançado e detido, sendo que com o grupo havia galão de gasolina e artefatos para gerar fogo. Ainda com relação aos incêndios criminosos em questão, a Polícia Civil (de diferentes estados) manterá a operação, com vistas às prisões de mais envolvidos.

 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.







Quem Somos

Redação: R. Dr. Joaquim Libânio, nº 532 - Centro - Guaxupé / MG.
TELs.: (35) 3551-2904 / 8884-6778.
Email: [email protected] / [email protected]