190
Páginas Visualizadas Hoje

Autor: Carlos Alberto - Data: 05/09/2018 11:30

Sargento da PM detalha as prisões de assaltantes em Guaxupé

Sargento Neto, na foto como repórter Carlos Alberto, do JOGO SÉRIO, enfatizou a importância do patrulhamento e da participação da comunidade
Facebook Twitter LinkedIn Google+ Addthis

O sargento Neto, da Polícia Militar de Guaxupé, detalhou ao Jornal JOGO SÉRIO como foi desencadeada a ação que resultou nas prisões de assaltantes, nesta manhã de segunda-feira, 3 de setembro, na Padaria Chalu, em Guaxupé. À frente dos trabalhos, ele, o cabo Luiz Carlos e o soldado Renan renderam aos criminosos, tomaram-lhes a arma de fogo (um revólver, calibre 22) e devolveram a tranquilidade ao ambiente. Destacada pela eficácia no combate a delitos, a PM guaxupeana atua de forma organizada, com o objetivo e dar segurança às pessoas de bem.

Sargento Neto, cabo Luiz Carlos e soldado Renan patrulhavam o Bairro Bebedouro quando depararam com o crime em pleno andamento: “Como sempre, no período da manhã, fazemos um patrulhamento preventivo às padarias para evitar este tipo de delito. E hoje, ao passar em frente à Chalu, notamos que o padeiro estava com as mãos para cima, inspirando haver lá um assalto. De imediato, desembarcamos e, dentro da padaria, havia dois indivíduos encapuzados, um armado. Diante dos fatos, demos voz de prisão a eles, os capturamos e nada da padaria foi roubado, graças à ação rápida da PM. Havia uma mulher dando cobertura aos autores, num veículo Volkswagen Gol, vinho, a qual também foi presa”, informou o policial.

De acordo com a ocorrência, foram detidos em flagrante Júlio Stamponi, de 38 anos, sua esposa, Tainá, com 21 anos, e o amigo deles, identificado como Heber. Segundo consta, há ainda um 4º envolvido, que seria dono do Gol, mas conseguiu fugir: “Esse automóvel pertence a um quarto autor, que estava envolvido, mas ainda não o identificamos. Ele, juntamente com a autora mulher, davam cobertura aos demais, sendo que os assaltantes foram presos dentro da padaria e a autora, que estava no lado de fora. Segundo consta nos assentos criminais, ela já tem passagem pelo Artigo 121, que seria homicídio. A gente queria aproveitar o espaço neste canal de alta divulgação para pedir que as pessoas façam denúncias anônimas no telefone 190 para que mais situações de crimes sejam combatidas pela Polícia Militar”, complementou sargento Neto.

 

 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.







Quem Somos

Redação: R. Dr. Joaquim Libânio, nº 532 - Centro - Guaxupé / MG.
TELs.: (35) 3551-2904 / 8884-6778.
Email: [email protected] / [email protected]