7779
Páginas Visualizadas Hoje

Autor: Carlos Alberto - Data: 14/11/2019 13:12

Ocorrência de desacato e tentativa de homicídio gera polêmica em Muzambinho

O sargento Graciano tenta prender o vereador "Pezão" e seu genro, Antônio, em tumultuada ocorrência desencadeada nesta quarta, 13, em Muzambinho
Facebook Twitter LinkedIn Google+ Addthis Ocorrência de desacato e tentativa de homicídio gera polêmica em Muzambinho

Uma ocorrência de tentativa de homicídio e desacato à autoridade, registrada pela PM de Muzambinho, nesta quarta-feira, 13 de novembro, está gerando grande polêmica no Município. Isto, porque o episódio envolveu cidadãos comuns, mas também autoridades civis e militares, com disparos de arma de fogo, eventual investida contra a integridade física de policial e supostos excessos por parte de diferentes participantes.
O fato aconteceu na Rua Fábio de Oliveira Coimbra, no Bairro Barra Funda, onde o sargento Graciano abordou ao casal Antônio Carlos de Souza, escrivão de 37 anos, e sua esposa, Josiane Vasconcelos Souza, de 31 anos, ambos na motocicleta Honda vermelha. Segundo o militar, o veículo apresentava-se em condições irregulares por ter sido estacionado na calçada, além de estar com o lacre da placa rompido.
De acordo com a polícia, a vistoria foi interrompida pelo vereador João Batista Vasconcelos, de 61 anos, que é conhecido como "Pezão" e é proprietário de uma Volkswagen Kombi, que estava próxima ao local onde o policial realiza a fiscalização. Sogro de Antônio Carlos, o político foi informado de que não se tratava de seu automóvel, mas o parlamentar teria tentado dificultar o trabalho do PM mesmo assim.
Na discussão entre as partes, segundo o sargento, o dono da moto tentou arrancar com o veículo na direção do policial, que fez dois disparos com sua pistola .40, tendo um deles atingido um dos pneus. Depois disto, Graciano deu voz de prisão aos três e pediu reforço, atendido por equipes de Guaxupé. No local, conforme as versões, outras pessoas revoltaram-se com os tiros disparados pelo PM, o que inflamou ainda mais os ânimos e houve conflito verbal e físico (autoridades do Executivo, Legislativo e até Judiciário compareceram o local).
Após acalmados os ânimos, o vereador e um construtor civil, identificado como Márcio Antônio Barbosa, de 46 anos (este último teria chamado o PM de vagabundo) foram detidos e ouvidos na Delegacia (Já Antônio Carlos apresentou-se posteriormente, com advogado. Segundo eles, em momento algum houve a suposta tentativa de atropelamento ao policial, que teria protagonizado abusos (um vídeo foi feito pela mulher de Antônio, cujo conteúdo espalha-se pelas redes sociais). Revoltados, sogro e genro garantem que acionarão a Justiça quanto aos supostos excessos. Contudo, também o PM procurará os meios legais para se defender das acusações, haja vista que ele foi apontado como portador de problemas mentais, assim como autor de fatos anteriores onde teria, conforme os desafetos, protagonizado situações contrárias à lei e ordem. Contudo, as versões serão apuradas pelas autoridades competentes.

Prefeitura repudia...
Ainda sobre o ocorrido, a Prefeitura de Muzambinho divulgou uma nota de repúdio em sua fanpage/facebook, com o seguinte conteúdo: "A Prefeitura Municipal de Muzambinho, por meio deste, torna público o seu repúdio quanto à violência praticada pelo sargento Graciano, da Polícia Militar, contra a família do cidadão e vereador João "Pezão". Lamentamos o fato que mancha a imagem e reputação da gloriosa Polícia Militar e, especialmente, porque tem sido repetido pelo citado militar, que em outros momentos de sua atuação, nessa cidade, tem desrespeitado cidadãos".

O que diz a PM?
Informações obtidas pelo Jornal JOGO SÉRIO dão conta de que na 79ª Cia. PM/MG, responsável pela unidade muzambinhense, um processo interno já foi aberto, a fim de apurar o ocorrido, as acusações e denúncias. Junto a isto, uma investigação da Polícia Civil também já encontra-se em andamento, com vistas ao conteúdo da ocorrência de desacato e tentativa de homicídio. A questão, desta forma, terá novos desdobramentos posteriores.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.







Quem Somos

Redação: R. Dr. Joaquim Libânio, nº 532 - Centro - Guaxupé / MG.
TELs.: (35) 3551-2904 / 8884-6778.
Email: jornaljogoserio@gmail.com / ojogoserio@yahoo.com.br.