962
Páginas Visualizadas Hoje

Autor: Carlos Alberto - Data: 25/08/2017 09:46

Dra. Salma quer mais abertura para ajudar no serviço de saúde mental

Médica, a vereadora tem recebido muitos pedidos, mas se vê impossibilitada de ajudar e pretende, por isto, melhorar o sistema para a população ser melhor auxiliada
Facebook Twitter LinkedIn Google+ Addthis

A vereadora Salma Regina Gallate chamou a atenção, nesta noite de segunda-feira, 14 de agosto, para a importância do empenho no atendimento de pessoas em busca de apoio psicológico junto ao poder público. Segundo ela, muitas pessoas lhe procuram, a fim de obter ajuda quanto a tratamentos de portadores de doenças mentais e dependência química. Médica e atuante na rede pública de saúde local, Dra. Salma tentará junto à Prefeitura um estreitamento de laços, a fim de contribuir melhor para com a solução do referido problema. A parlamentar manifestou-se durante a 12ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal, logo após o desabafo do ex-vereador, Sebastião Aparecido de Jesus (Tião Cascudo), o qual criticou a Secretaria de Saúde, a quem ele afirma ter pedido ajuda para com a filha, adolescente que perdeu a vida há pouco, numa tragédia: “Sempre nos são solicitadas, principalmente por ser médica, internações de urgências para casos psiquiátricos, pacientes em surtos; por indicação de uso de drogas e pacientes que querem largar o vício. E, como hoje, estas internações são feitas através de encaminhamento dos psiquiatras, ficamos de mãos atadas. Então, já solicitei junto à Secretaria de Saúde, como é feito isto, através do CAPS e para que possamos acompanhar o tratamento feito no CAPS. É uma reivindicação da cidade e nossa, como médica, estar sempre junto com as pessoas. Estes atendimentos têm que ser de urgência, não há como esperar ou estar em fila. Deve ser mais rápido! Não só o psiquiátrico, mas psicológico também. Não reconhecer o trabalho dos psicólogos é uma falha muito importante, pois é um trabalho sim, de apoio, muito grande. Principalmente para ajudar no tratamento destes surtos, no acompanhamento também não só do paciente cronicamente que fazem necessário. É um trabalho conjunto: psicológico e psiquiátrico e isto merece sim a atenção nossa”, finalizou dra. Salma. 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.







Quem Somos

Redação: R. Dr. Joaquim Libânio, nº 532 - Centro - Guaxupé / MG.
TELs.: (35) 3551-2904 / 8884-6778.
Email: jornaljogoserio@gmail.com / ojogoserio@yahoo.com.br.