3940
Páginas Visualizadas Hoje

Autor: Carlos Alberto - Data: 31/10/2017 16:24

Ex-aluno da Casa da Criança, vereador Francis visita a entidade antes de votar a subvenção para 2018

Vereador, que é educador físico acadêmico e instrutor de artes circenses, atuará junto de seus pares, na Câmara, por um melhor repasse à Casa da Criança
Facebook Twitter LinkedIn Google+ Addthis Ex-aluno da Casa da Criança, vereador Francis visita a entidade antes de votar a subvenção para 2018

O vereador Francis Osmar da Silva visitou a Casa da Criança na semana passada, onde viveu por dez anos, aproximadamente, enquanto menor de idade. Grato pela formação obtida junto àquela instituição, o legislador reuniu-se com dirigentes, funcionários e os alunos, em geral. Prestes a votar o percentual das subvenções que a Prefeitura destinará às entidades em 2018, Francis pretende melhorar o repasse de sua ex-escola, que trabalha com quase 50% a menos do que precisaria para atender aos cerca de cento e cinquenta assistidos (entre contraturnos e acolhidos).

Francis participou de um almoço com os alunos, quando emocionou-se ao ver a disciplina coletiva e, mais do que isto, lembrou de quando era um deles: “Para mim, estar aqui significa muito. As lágrimas são por conta da saudade daquele tempo, que era duro, mas aqui sentia-me amado de verdade. Muitos, da minha época, se perderam, mas outros buscam a vitória, vivendo honestamente. O valor da Casa da Criança para mim e milhares que por aqui passaram é indescritível. Por isto é que precisamos lutar juntos, na Câmara, por um reajuste decente nos recursos”, disse o vereador, que conversou com as crianças, incentivando-as a serem sempre pessoas de bem.

Já da diretoria, o vereador Francis esteve com o presidente Florindo Eliseu Smargiassi, de quem ouviu que a verba ofertada pelo Município é bem escassa: “Os valores são decididos, mas as entidades não são ouvidas. E isto é muito ruim, pois só quem está nas instituições sabe o quanto cada entidade precisa. Trabalhamos num déficit cada vez maior e estamos ficando sem saída”, externou Florindo, que se fez acompanhar por membros da gerência e conselheiros da Casa, durante o encontro com Francis. Vitimado com as despesas sempre maiores do que a receita, Florindo foi taxativo ao declarar que a Câmara precisa autorizar um repasse compatível e que o percentual seja acatado pela Prefeitura.

Atuante voluntário da área social de Guaxupé, Florindo esteve, inclusive, há pouco mais de uma semana, na Câmara Municipal, onde reuniu-se com vereadores, demais dirigentes e funcionários da Casa da Criança. Na ocasião, o presidente cobrou um apoio efetivo dos vereadores, haja vista que a necessidade das instituições nunca foi tão real, sendo que são os parlamentares municipais os principais personagens para uma melhora no cenário. Poucos dias depois, alguns legisladores visitaram a Casa, inteiraram-se do funcionamento e colheram informações a respeito da verba recebida. Assim, espera-se uma ação concreta para que os problemas sejam amenizados.

Francis empenhado: Ciente dos problemas enfrentados atualmente pelo chamado terceiro setor brasileiro, Francis sensibilizou-se com a causa e prometeu unir-se aos pares, na Câmara, para auxiliar a Casa da Criança: “O Marco Regulatório, que foi instituído pelo governo federal, estabeleceu novas regras para a prestação de serviços e o repasse de verbas às entidades. E isto, apesar de ter sido feito para fins de regulamentação, está se mostrando prejudicial para muitas entidades. E, todos nós sabemos que a Casa da Criança realiza um trabalho mais do que sério, pois lida com menores muitas vezes carentes, mas de muito potencial. Então, com a força de meus colegas de Legislativo e a sensatez do governo municipal, estou certo de que o que for melhor será feito”, disse Francis.

Práticas circenses: Instrutor de práticas circenses, o vereador Francis colocou-se à disposição para iniciar uma oficina sobre a modalidade em questão com os alunos da Casa da Criança: “Temos que transmitir o que de melhor temos e, no meu caso, a arte circense é algo que me deixa muito feliz. Então, me coloquei à disposição do pessoal para que, dentro das possibilidades deles, arrumem um horário para que iniciemos as aulas. Será uma honra para mim!”, disse Francis.

 

Um serviço e tanto prestado ao poder público!

Respeitada por conta da importância junto à comunidade, a Casa da Criança/SOS de Guaxupé funciona na Avenida Dona Floriana, na área central da cidade, no prédio anexo à sede da Polícia Civil. Lá, crianças e adolescentes recebem assistências diversas, a começar pela alimentação, passando pelo apoio pedagógico; a introdução ao esporte, cultura e a vida social. Além do recurso do poder público, o local funciona com doações e uma série de iniciativas próprias, como o bazar de semi-novos, hoje ininterruptamente na porta da escola; entre outras ações. Considerado refúgio, porto seguro e fundamental à vida de seus assistidos, o local enfrenta os mesmos problemas que a Apae, a Casa do Caminho, o CEAS e outras instituições. – A Câmara vota, antes do final deste ano, o valor das subvenções que as entidades terão para trabalhar em 2018. As dotações, no entanto, podem ou não ser acatadas pela Prefeitura, que analisa sua disponibilidade econômica e financeira, antes de endossar ou não os percentuais sugeridos.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.







Quem Somos

Redação: R. Dr. Joaquim Libânio, nº 532 - Centro - Guaxupé / MG.
TELs.: (35) 3551-2904 / 8884-6778.
Email: [email protected] / [email protected]