59
Páginas Visualizadas Hoje

Autor: Carlos Alberto - Data: 05/06/2018 10:54

Comissões internas da Câmara reuniram-se para tratar da "crise do lixo" em Guaxupé

Vereadores lamentaram a falta de representantes da Prefeitura e da Macchione, pois nada puderam fazer sem informações sólidas sobre o problema
Facebook Twitter LinkedIn Google+ Addthis Comissões internas da Câmara reuniram-se para tratar da

Vereadores participaram, nesta noite de segunda-feira, 4 de junho, de uma sessão organizada pelas comissões permanentes de Meio Ambiente e Defesa dos Direitos do Contribuinte/Consumidor daquela casa de leis. O encontro parlamentar foi realizado para tratar do problema da falta de coleta de lixo e de limpeza urbana, ocorrentes desde o último dia 27, quando a Macchione, vencedora da licitação pública, descumpriu o acordo firmado com a Prefeitura e não deu conta de iniciar suas atividades em Guaxupé. Cobrados pela população pessoalmente e via redes sociais, os parlamentares pretendiam contribuir para com a solução, mas a falta de representantes da firma e da Prefeitura impediu a realização de um debate eficaz.

A reunião foi conduzida pelo presidente das comissões, Jorge Batista Bento da Paz (Jorginho), tendo contado ainda com as presenças dos vereadores Wilson Ruiz de Oliveira (Tomate), Danilo Martins de Oliveira (presidente da Câmara), Donizetti Luciano dos Santos (Zettinho), Francis Osmar da Silva, Maria José Cyrino Marcelino e Paulo César Beltrão (Paulinho). Empenhados na busca para solução ao problema, os legisladores repudiaram o fato de que nem a direção da Macchione, nem a Prefeitura enviaram representantes seus para o debate: “Foram encaminhados ofícios ao Prefeito e à Macchione, para que enviassem representantes seus para a reunião. É um desrespeito não só com os vereadores, mas com a população, que cobra providências aos vereadores”, disse Jorginho. “Estamos fazendo papel de palhaços, pois não será só uma conversa entre nós que resolverá a situação”, endossou Luzia.

Durante cerca de quarenta minutos, os vereadores participantes manifestaram seus pontos de vista: “Hoje, durante o dia todo, a Câmara tentou contato com a empresa e teve uma dificuldade muito grande em receber o email para oficiá-la sobre a reunião. Após grande insistência, fomos informados de que um engenheiro da empresa estaria aqui, o que não aconteceu. Já a Prefeitura, no final da tarde, tomei conhecimento de que também estão reunidos neste mesmo momento, justamente para tratar deste assunto”, informou o dirigente geral da Câmara. “Estamos preocupados com a situação desde o dia em que o secretário Rafael Olinto fez a apresentação. Todo mundo sabe que processo de licitação não é da noite para o dia. Já deveriam ter um ‘plano B’, pois o problema aconteceu em pleno feriado de aniversário da cidade”, completou Maria José, que também lamentou a falta de respostas por parte do Município e a Macchione.

 

Esforço da Secretaria de Obras reconhecido

Em meio à crise instaurada pela falta da coleta de lixo e limpeza pública, os vereadores presentes à sessão enfatizaram os esforços por parte da municipalidade, que desde o início do problema montou equipes de servidores públicos do setor de Obras para recolher os detritos, ainda que de forma emergencial: “A gente vê que eles fazem um esforço danado, mas a cidade é muito grande e eles não dão conta! Mas, estes dias vi o Gilmar (servidor público) correndo para lá e para cá, fazendo uma função que não é sua! Já a empresa (Macchione) merece um ‘puxão de orelha’, pois não cumpriu o que era para ser executado”, reconheceu Zettinho. “Quero agradecer e parabenizar aos ‘meninos’ do Departamento de Obras, como o Leandro, o Fernando, da Santa Cruz, entre outros, que estão fazendo a coleta”, complementou Francis, que criticou veemente a falta de membros da Prefeitura, da Macchione e também de cidadãos, a quem o vereador advertiu pela ausência à reunião.

 

Usina de lixo e municipalização dos serviços

Num plenário praticamente vazio, apenas o cidadão Luciano Reis solicitou o uso da palavra. Dedicado a soluções socioambientais, como o Programa Guaxu Nascentes, ele sugeriu a implantação de uma usina de lixo, além da municipalidade da coleta e limpeza pública: “Venho trabalhando na proposta de um complexo industrial sustentável e, com o descumprimento desta empresa, que venceu a licitação, sugiro que essa usina, após criada, administre a limpeza pública e a coleta de lixo. Com os recursos pagos às empresas de fora, esta usina poderia se estruturar, com vistas à geração de emprego e renda, além de benefícios para o próprio Município. Enfim, gostaria que o Município resolvesse hoje esta questão do lixo”, pediu Luciano, que aproveitou para também criticar as ausências cobradas anteriormente pelos vereadores, àquela reunião.

 

Denúncia ao MP e o Tribunal de Contas

O presidente das duas comissões legislativas condutoras da sessão desta segunda-feira encerrou a audiência com a promessa de que levará o problema do lixo ao Tribunal de Contas de Minas Gerais e o Ministério Público Estadual. Mais do que isto, Jorginho Bento criticou o líder do prefeito na Câmara, vereador Leonardo Donizetti Moraes (Léo), o qual não participou da reunião, embora tenha sido visto nos corredores da Câmara pouco antes do início da atividade. “Todo Parlamento tem líder do prefeito ou líder do governador ou do presidente! Nem a liderança da Prefeitura está aqui! E poderia ter se reunido com eles mais cedo e nos trazer as informações oficiais. Então, pode ‘desnomear’ o líder do prefeito, pois parece que não tem! A população não ficará sem respostas não! Vamos fazer um relatório, documentar tudo, encaminhar ao Tribunal de Contas do Estado e o Ministério Público para apurar as irresponsabilidades de cada um, tanto na parte ambiental, quanto de Saúde, a administrativa e outras mais, pois há muita irregularidade aí! Queremos que a situação seja regulariza o mais rápido possível, mas sofrerá as consequências quem errou nesta questão toda”, finalizou Jorginho.

 

Correria na Prefeitura

O Jornal JOGO SÉRIO foi informado, ainda nesta segunda-feira, de que o alto escalão da Prefeitura mantinha-se reunido no mesmo horário em que a Câmara realizava seu encontro para tratar do mesmo assunto. Conforme a comunicação social do Município, tratativas foram iniciadas de manhã e só terminaram às 22h30, sendo que novamente nesta terça a questão continua sendo debatida, com vistas à solução. Embora não tenha dado detalhes, a assessoria do prefeito Jarbas Corrêa Filho (Jarbinhas) evidenciou as várias tentativas feitas junto à Macchione, sendo todas sem êxito. Sendo assim, o Município tenta, já desde a semana passada, cancelar o contrato com a empresa, mas sofre porque os trâmites não são tão rápidos. Contudo, uma solução definitiva para o problema deve ser anunciada nas próximas horas.

 

 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.







Quem Somos

Redação: R. Dr. Joaquim Libânio, nº 532 - Centro - Guaxupé / MG.
TELs.: (35) 3551-2904 / 8884-6778.
Email: [email protected] / [email protected]