5202
Páginas Visualizadas Hoje

Autor: Carlos Alberto - Data: 12/07/2018 17:12

Prefeito e vereadores são pressionados a resolver polêmica do esgoto milionário de Guaxupé

Gustavo usou a Tribuna da Câmara para pedir severidade aos vereadores, haja vista a cobrança da taxa na conta d"água, a paralisação da ETE e o mal-estar vivido pela população, que está sem esgoto tratado até hoje, mas já pagou mais de R$ 30 milhões à Copasa
Facebook Twitter LinkedIn Google+ Addthis Prefeito e vereadores são pressionados a resolver polêmica do esgoto milionário de Guaxupé

O guaxupeano Gustavo de Paula usou a Tribuna Popular da Câmara Municipal de Guaxupé nesta noite de segunda-feira, 9 de julho, para solicitar aos vereadores que convoquem o prefeito Jarbas Corrêa Filho para prestar esclarecimentos sobre o motivo pelo qual a Prefeitura não quebrou o contrato com a Copasa, haja vista a quantidade de motivos já expostos para isto. Taxativo, o jovem sugeriu a realização de uma audiência, onde Jarbinhas e os legisladores recebam a população para definir, de vez, a polêmica que já se arrasta há anos, com a população pagando 50% a mais na conta d"água, por um tratamento de esgoto ainda inexistente. Com cálculos em mãos, Gustavo lembrou que o governo federal ofereceu R$ 14 milhões ao Município, em 2012, para a construção da Estação de Tratamento de Esgoto, mas até agora a Companhia de Saneamento de Minas Gerais já arrecadou mais de R$ 30 milhões com a referida tarifa, enquanto a ETE não alcançou sequer 30% de sua edificação total.
Gustavo fez seu pronunciamento ao final da 11ª Sessão Ordinária: "Já sei que há a CPI do Léo Moraes, o Jorginho corre atrás disso, o Danilo também sempre se posiciona, mas, via cálculo bem simples, com 15 mill residências, a R$ 30,00/mês, a Copasa está arrecadando R$ 450 mil por mês com a taxa! Anualmente, dá R$ 5.400.000,00! O povo está pagando e não há nada pronto! Gostaria que o prefeito estivesse aqui, que ele fosse solicitado aqui, não só verbalmente, mas convocado para explicar à população o que está acontecendo. É um desrespeito muito grande, pois em seis anos a Copasa já arrecadou R$ 21.600.000,00, para um cálculo com dez mil casas, embora em Guaxupé haja muito mais!", ressaltou o cidadão.
Atento aos andamentos sóciopolíticos da cidade, Gustavo lembrou o episódio recente da "crise do lixo", quando Guaxupé ficou duas semanas sem coleta e limpeza urbana, até quebrar o contrato com a Macchione: "O prefeito cancelou um contrato recente com uma empresa de coleta de lixo, que venceu a licitação, mas não cumpriu o contrato e este foi rescindido. Por que, então, não se pode quebrar o contrato com a Copasa? Todos sabemos que a votação que aprovou este contrato foi ilegal! Qual é, então, o critério que está faltando para quebrarmos o contrato? O que, realmente, está acontecendo? Por isto, peço que vocês, vereadores, dediquem duas sessões ou mais, convoquem o prefeito e vamos resolver isto, pois o povo não pode mais pagar! Vamos esperar a próxima eleição?", indagou o rapaz.
Esta é a segunda vez que Gustavo usa a Tribuna da Câmara, sendo a primeira há um ano, quando pediu a realização de audiências públicas para investigar o "caso Copasa": "O prefeito tem mais culpa que os vereadores, pois quando assumiu, a lei permitia que ele revogasse o contrato. Ele poderia ter feito isto, mas não é de seu interesse. Eu, pessoalmente, conversei com ele na frente de cem funcionários e ele me disse que não havia o que fazer. Porém, a administração era dele. Quando você assume o mandato, pode revogar a decisão passada, caso o contrato tenha irregularidade, seja unilateral, conforme é este, onde somente a Copasa ganha e todos nós perdemos", frisou Gustavo.
Ainda sobre a Copasa, o jovem enfatizou: "A Copasa diz que se conduzir o esgoto até o rio já está fazendo sua parte. Mas, espere aí! A tubulação era toda nossa! Ela comprou por R$ 8 milhões, não fez mais nada e está arrecadando, conforme meus números, em seis anos já arrecadaram R$ 32 milhões, enquanto a obra da Estação de Tratamento de Esgoto custa R$ 14 milhões", criticou ele, que antes de deixar a Tribuna advertiu aos vereadores Francis Osmar Silva e Maria José Cyrino Marcelino, os quais criticaram-no, na última sessão, por conta de postagens dele, feitas no facebook, com cobranças aos políticos. A dupla de políticos, porém, rebateu às declarações, dando conta de serviços prestados em favor da população, relativamente à polêmica da Copasa. Ao final da reunião, o presidente da Câmara, Danilo Martins, não informou se convocará ou não o prefeito Jarbinhas para explanar a respeito do tema proposto.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.







Quem Somos

Redação: R. Dr. Joaquim Libânio, nº 532 - Centro - Guaxupé / MG.
TELs.: (35) 3551-2904 / 8884-6778.
Email: [email protected] / [email protected]