918
Páginas Visualizadas Hoje

Autor: Carlos Alberto - Data: 22/08/2016 15:30

Coloquei o aparelho nos dentes e começou a minha dor na ATM; tem alguma relação?

Os desequilíbrios nas dentições decídua e permanente se constituem em possíveis fatores etiológicos na disfunção da ATM
Facebook Twitter LinkedIn Google+ Addthis Coloquei o aparelho nos dentes e começou a minha dor na ATM; tem alguma relação?

Acreditava-se até recentemente que a má oclusão fosse o fator etiológico principal da disfunção na articulação temporomandibular, mas estudos comprovaram que essas disfunções são diversas e, muitas vezes, com etiologias por múltiplos fatores.

Os desequilíbrios nas dentições decídua e permanente se constituem em possíveis fatores etiológicos na disfunção da ATM. Essa falta de equilíbrio pode ser de origem traumática, psicossocial (que incluem fatores individuais, interpessoais e situações variadas que bloqueiam a capacidade funcional adaptativa do indivíduo), genética, funcional e, frequentemente, devido a um nivelamento incorreto dos dentes, retiradas, inclinações inadequadas, além de mecânica ortodôntica com forças pesadas e contínuas nos dentes.

O tratamento ortodôntico (conhecido como o “colocar o aparelho nos dentes”) sobre o sistema estomatognático (sistema mastigatório) não se apresenta totalmente clara e a perspectiva de considerar a má oclusão como fator etiológico primário das disfunções temporomandibulares coloca, muitas vezes, a ortodontia como causa dessas disfunções e outras vezes como solução.

Os procedimentos ortodônticos mais comumente mencionados como responsáveis, ou capazes de desencadear ou exacerbar uma disfunção temporomandibular são: 1-finalização do tratamento sem uma avaliação do potencial de crescimento latente da mandíbula. Assim, após a finalização do caso, a mandíbula, que continua a crescer é retida pelos incisivos superiores em uma posição mais retraída, forçando os côndilos da mandíbula distalmente; 2- retração excessiva dos incisivos superiores; 3- pré-molares, com consequente retração do segmento anterior; 4- retração anterior para fechamento de espaços nos casos de má formação dentária; 5- uso de órtese para tratamento de alinhamento da mandíbula; 6- máscara facial; 7- elásticos intermaxilares de classe III; 8- uso de aparelho extrabucal no arco inferior; 9- elásticos intermaxilares de classe II, quando promovem uma excessiva retração dos incisivos superiores com consequente fechamento mandibular mais para distal. E acredita-se que o uso da toxina botulínica (Botox) na musculatura facial sem tratamento após a aplicação, pode se tornar um potencial recurso causador de disfunção na ATM. Sendo assim, aparelhos ortodônticos e/ou ortopédicos não são indicados para o tratamento de disfunção na articulação temporomandibular ou dor orofacial e nem para sua prevenção.

Em casos de dor de cabeça, dores de ouvido e na região da ATM após a retirada ou colocação de aparelhos dentários, procure sempre fisioterapia especializada para uma avaliação minuciosa.

Prof. Ms. Luiz Henrique Gomes Santos

Diretor clínico do Instituto sulmineiro de cabeça e pescoço – ISCP

Coordenador do curso de Fisioterapia – UNIFEG

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.







Quem Somos

Redação: R. Dr. Joaquim Libânio, nº 532 - Centro - Guaxupé / MG.
TELs.: (35) 3551-2904 / 8884-6778.
Email: [email protected] / [email protected]