595
Páginas Visualizadas Hoje

Autor: Carlos Alberto - Data: 01/09/2016 20:56

Em funcionamento, CETA atua com conhecimento científico e muito amor aos portadores de autismo

Situado no Bairro Nossa Senhora das Dores (Pombal), o CETA atende a crianças com TEA
Facebook Twitter LinkedIn Google+ Addthis Em funcionamento, CETA atua com conhecimento científico e muito amor aos portadores de autismo

Encontra-se em pleno funcionamento, no município de Guaxupé, o Centro de Estimulação, Terapia e Aprendizagem, que foi criado pela psicóloga Luciana Bárbara, a fim de atender à demanda de portadores de Transtorno do Espectro Autista. Dedicado ao tratamento de pacientes infantis, o local iniciou as atividades com esforços próprios da idealizadora, em parceria com familiares dos assistidos. Viabilizado principalmente com o objetivo de combater a falta de informação e amparar às mães de crianças com TEA, o CETA é composto por equipe multidisciplinar, a qual tem sido fundamental na vida de seu público-alvo.

Situado à Rua Samuel Camilo, nº 493, no Bairro Nossa Senhora das Dores (Pombal), o Centro conta com profissionais de diferentes áreas: a neuro-psicóloga Mayara Leite Carneiro, o fisioterapeuta Diogo Cruvinel, as psicólogas Mariane Herédia e Luciana Bárbara da Silva e a terapeuta ocupacional Kátia Nogueira. Cada qual a sua maneira, eles atendem crianças com atraso no neurodesenvolvimento e, principalmente, pacientes com autismo ou suspeita.

O trabalho, além do conhecimento dos referidos especialistas, conta com a parceria do Centro de Aprendizagem e Desenvolvimento (CAD), de São Carlos (SP), via professora doutora da Priscila Benitez, a qual supervisiona os trabalhos do CETA. “Todos os dados produzidos aqui nas sessões são registrados e mandados para a Priscila e eu faço junto com ela a análise dos dados. E, aí, a gente vê se a criança está aprendendo as cinco áreas do desenvolvimento. E vamos evoluindo os programas de acordo com o que a criança vai aprendendo. E, se a gente vê que não há evolução, diminui a dificuldade do programa. Por isso, tudo tem que ser registrado. Não é só a parte acadêmica que a gente trabalha aqui, também o emocional, as brincadeiras e usando vários ambientes, trabalhamos a parte motora e social”, explicou Luciana.

 

IMPORTANTE, DE VERDADE!

Fundamental na vida de quem tem filhos autistas, o Centro recebe, apesar das condições modestas, cada dia mais pessoas em busca de apoio. Valéria Siqueira Lima, mãe da Sofia, de 2 anos e 9 meses, é uma das aliviadas após conhecer o Centro: “O que me trouxe aqui no CETA foi uma suspeita de autismo e eu fui em vários lugares e me indicaram aqui, onde tem tudo o que ela precisa. Aqui é completo, no que diz respeito ao profissionalismo, e está sendo muito bom para ela. Hoje, é a 3ª avaliação e já vejo diferença no comportamento dela. É muito importante ter um centro especializado desses aqui na cidade, pois eu andei em muitos lugares e nenhum tinha o que ela precisava. A gente não sabia para onde ir! É um conforto saber que minha filha vai ser amparada no que ela precisar. Primeiro, foi muito difícil aceitar que ela tinha dificuldade em aprender, depois você vai num lugar, vai em outro e nada! E, aqui, vai ser muito bom pro desenvolvimento dela”, definiu a mãe da pequena Sofia.

 

DA CIÊNCIA E O AMOR...

Com pacientes de vários bairros, classes sociais distintas e graus de TEA variados, o CETA é mantido pela própria equipe de profissionais e familiares de atendidos, os quais promovem eventos beneficentes para auxiliar no custeio das despesas. Porém, por estes dias, as expectativas sobre uma possível parceria com a Prefeitura de Guaxupé têm sido grandes: “Será de suma importância este apoio do poder público. As mães de nossos pacientes, inclusive, estão torcendo por isto, haja vista que nosso trabalho poderá ter êxito ainda maior”, definiu a psicóloga idealizadora do Centro, que está aberto a visitações, de segunda à sexta-feira, em horário comercial, para fins de avaliações, diagnósticos e tratamentos médicos (para interessados em doações, a equipe trabalha com brinquedos sensoriais e pedagógicos, assim como livros, entre outros; também são bem vindos móveis e utensílios, em geral. – Informações também podem ser obtidas no telefone 35-3552-7562.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.







Quem Somos

Redação: R. Dr. Joaquim Libânio, nº 532 - Centro - Guaxupé / MG.
TELs.: (35) 3551-2904 / 8884-6778.
Email: [email protected] / [email protected]