5972
Páginas Visualizadas Hoje

Autor: Carlos Alberto - Data: 04/10/2016 14:29

Tenho uma dor que me incomoda diariamente a face do lado esquerdo.

Posso estar sofrendo de neuralgia do trigêmeo? Como saber?
Facebook Twitter LinkedIn Google+ Addthis Tenho uma dor que me incomoda diariamente a face do lado esquerdo.

Neuralgia do trigêmeo é uma dor neuropática (lesão de algum ramo do nervo trigêmeo), episódica (não constante), normalmente paroxística (dores tipo choque elétrico ou lancinantes que ocorre em crises e desaparecem). Essas dores são tipicamente precipitadas por estímulos não dolorosos como lavar, tocar levemente a face, barbear, fumar, falar e escovar os dentes, podendo inclusive ocorrer espontaneamente sem nenhum estímulo. Geralmente os paroxismos são intensos, mas de curta duração, perdurando por alguns segundos ou menos.

Afeta mais comumente a região da mandíbula e maxila. Sua prevalência estimada na população é de 100/1.000.000 no gênero masculino e 200/1.000.000 no feminino. Se você se enquadrar em alguns aspectos dessas condições, deverá procurar um especialista em DTM que fará o diagnóstico diferencial e, caso constate a possibilidade da ocorrência da neuralgia do trigêmeo, o encaminhará para tratamento com um médico neurologista. O segundo ramo (Maxilar) e o terceiro (Mandibular) são mais comumente afetados. O primeiro (Oftálmico) é afetado em apenas 1 a 2% dos pacientes;
Não cruza a linha média da face, embora possa ocorrer bilateralmente em 3 a 5% dos pacientes;
Em alguns momentos, esses podem ocorrer sucessivamente e se “fundindo” gerando dor de longa duração, sendo relato comum nesses casos, à sensação de queimação de duração mais longa. É marcada por períodos de remissão que duram de dias a anos, mas com a progressão da neuralgia os intervalos assintomáticos tendem a se tornar cada vez mais curtos, e a exacerbação se intensifica (ou as crises se tornam mais intensas)
O exame neurológico tem resultado normal nestes pacientes.
No processo de diagnóstico da neuralgia do trigêmeo é importante excluir condições que possam colocar a vida do paciente em risco. O profissional responsável pelo diagnóstico diferencial e tratamento desta condição é o médico neurologista. Porém, o trabalho da fisioterapia é de suma importância para o trabalho de redução da sensibilidade dolorosa das áreas faciais e tratamento dos sinais e sintomas, além de melhora da funcionalidade. Não deixe de procurar ajuda de profissionais especialistas em dor orofacial.

 

Prof. Ms. Luiz Henrique Gomes Santos

CREFITO4: 115915F

Doutorando em Fisioterapia - Lab. de Eletrotermofototerapia - UFSCAR
Coordenador do curso de Fisioterapia – UNIFEG

Diretor clínico do Instituto sulmineiro de cabeça e pescoço – ISCP

Delegado do CREFITO-4 na mesorregião de Guaxupé – MG

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.







Quem Somos

Redação: R. Dr. Joaquim Libânio, nº 532 - Centro - Guaxupé / MG.
TELs.: (35) 3551-2904 / 8884-6778.
Email: [email protected] / [email protected]