6496
Páginas Visualizadas Hoje

Autor: Carlos Alberto - Data: 18/07/2017 10:14

Vigilância Sanitária orienta população sobre venda de alimentos via internet

Um estudo sobre este tipo de comércio está sendo desenvolvido em Guaxupé (Texto e foto: Ass. Com. Prefeitura)
Facebook Twitter LinkedIn Google+ Addthis Vigilância Sanitária orienta população sobre venda de alimentos via internet

A comercialização de alimentos via internet vem crescendo significativamente em Guaxupé, dada principalmente ao fato do grande nível de desemprego, como forma de complemento de renda ou então até um próprio negócio. O que preocupa a Vigilância em Saúde do município é que alguns comerciantes deste ramo sejam isentos de cursos de boas práticas, fazendo com que a maioria deles deixem a desejar em relação a higienização do local, da sua matéria-prima e até mesmo da sua própria higiene colocando em risco a saúde do consumidor.

De acordo com Daniela Salgado, diretora da Vigilância em Saúde, é recorrente os casos de doenças alimentares (DTA) em pessoas que consumiram alimentos de procedência duvidosa que seriam alimentos vendidos por ambulante, por “delivery” via internet ou locais sem inspeção: “Os casos mais comuns registrados derivam dos microrganismos Clostridium e Salmonela que tem como sintomas mais frequentes a diarreias, dores abdominais, febre e vômitos. Estes sintomas aparecem, normalmente, entre 12 a 36 horas após ingestão dos alimentos contaminados”, disse.

Ainda, segundo a diretora, duas estagiárias do curso técnico em alimentos integrados, Nayara Mesquita e Rafaela dos Santos, estão participando de um estudo sobre este tipo de comércio: “Temos preocupação com aquilo que a população pode estar consumindo sem nenhuma inspeção da VISA. Isso pode trazer sérios riscos à saúde. Por isso, estamos nos últimos meses fazendo um trabalho minucioso em relação aos alimentos que são vendidos via internet. Claro que alguns são de forma legal e inspecionados por nós, mas existem aqueles que tampouco sabemos onde são produzidos”, explicou Daniela.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera as vendas de alimentos prontos pela internet como um risco para a saúde da população. Recomenda-se que os alimentos via internet tenha uma loja física que possua todos os alvarás de fiscalização, disponibilizados pela vigilância sanitária que garante total segurança do produto que está sendo comercializado.

A Secretaria de Saúde, através da divisão de Vigilância Sanitária, orienta também que o consumidor cobre dos comerciantes de alimentos “delivery” informações do estabelecimento, a procedência dos produtos ofertados, das condições físicas do manipulador e até mesmo as condições em que o alimento foi armazenado e sempre que houver dúvidas ou reclamações informar a vigilância sanitária no número 3551-2719 ou entrar em contato com os responsáveis pela secretária.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.







Quem Somos

Redação: R. Dr. Joaquim Libânio, nº 532 - Centro - Guaxupé / MG.
TELs.: (35) 3551-2904 / 8884-6778.
Email: [email protected] / [email protected]